Conceito

É uma ideia simples. É uma ideia a pedais. Com o dedo indicador, pressiona-se uma pequena patilha situada na roda traseira da bicicleta, o dínamo começa a funcionar e do farol emerge luz. O caminho, a intenção, a vontade, a verdade está assim iluminada. A partir daqui é só pedalar.

A palavra dínamo remete-nos para dinâmica uma das palavras chave desta ideia. A ideia de mobilidade, mesmo estando estático, está presente, permitindo assim a experimentação dos materiais e apelando a uma viagem pelo espaço público.

As múltiplas possibilidades cenográficas permitem uma exploração dos objectos num formato de INSTALAÇÃO e de PERFORMANCE.

Performance

Uma viagem de bicicleta .

O jogo entre diferentes materiais familiares, fazem-nos sentir num ambiente caseiro. Aqui mora a música e a poesia que se “ sapateiam” pelo espaço, percorrendo os vários cenários de espanto e suspense, comunicando constantemente com a fragilidade da condição humana.

É uma história simples de procura e que facilmente criará laços de identificação com o público , é uma ampliação simbólica de uma vida que se mescla entre o encontro e o desencontro. Será uma viagem e ida e de volta.

Deixamos assim um espaço em branco no guião que será preenchido pelas especificidades de cada local onde a apresentação se dê. Toda esta viagem é musicada ao vivo.

Instalação

A Instalação como forma de arte permite-nos uma ampliação de ambientes e uma consequente transformação do espaço público , provocando o encontro e a participação activa do espectador. A instalação convida o público a pedalar numa bicicleta pasteleira , activando dínamos que geram luz nos faróis mostrando direcções, quanto mais pedalar mais luz existirá, numa produção de energia sustentável e limpa.

Ficha técnica e artística

criação | Kopinxas , companhia de teatro
direcção artística | Eduardo Dias
interpretação | Ângelo Castanheira
ambientação sonora | Daniel Morgado , Ricardo Brito
apoio à produção | João Dias